Nova Triumph Street Triple 3

Naked média ganhou motor maior de 765 cm³, tecnologia embarcada e teve sua ciclística aprimorada

O ano mal começou, mas já surgem novidades para 2017. A Triumph apresentou nesta semana na Europa a nova Street Triple. A principal mudança na naked média é o motor maior, de 765 cm³. A marca inglesa também fez um facelift no modelo, aprimorou sua ciclística e adotou controles eletrônicos. A Street Triple agora será vendida em três versões, cada uma delas com especificações distintas. O novo modelo deve desembarcar no Brasil em junho.

O motor de maior capacidade não teve apenas aumento no diâmetro e curso dos pistões. Cerca de 80% das peças são novas – do virabrequim aos pistões, de acordo com a Triumph. O tricilíndrico ganhou acelerador eletrônico (ride-by-wire), o que permitiu a fábrica inglesa adotar tecnologia embarcada em sua naked de entrada. Modos de pilotagem, controle de tração e freios ABS são itens de série em todas as versões, embora o pacote eletrônico varie nas opções e na sofisticação.

As versões da Street Triple são: S, R e RS. Cada uma tem potência, tecnologia, suspensões e freios distintos – mas todas são mais potentes do que o modelo atual, que tem 85 cv no mercado brasileiro. Conheça as novidades da Street Triple e de cada versão em detalhes.

Três versões

A exemplo de outros modelos da marca inglesa, como a Speed Triple, Tiger Explorer 1200 e a Tiger 800, a Street Triple 2017 estará disponível em três versões. Da mais “básica” S à topo de linha RS. Segundo a Triumph, as versões fazem o modelo ir de uma naked urbana à uma moto de “pista”, dependendo do uso e do bolso do motociclista.

Nova Triumph Street Triple vermelha

A versão de entrada “S” tem suspensões Showa e os freios são Nissin. O novo motor oferece 112 cv de potência máxima a 11.250 rpm. O pacote eletrônico tem apenas dois modos de pilotagem – Rain e Road -, além de freios ABS e controle de tração, sendo que apenas este último pode ser desligado.

triple R

Já a Street Triple R conta freios monobloco Brembo e suspensões Showa, totalmente ajustáveis e com maior curso. Voltada para uma pilotagem mais esportiva, a R oferece 116 cv de potência máxima a 12.000 rpm e ainda três modos de pilotagem pré-programados e um personalizável, que permite desligar o controle de tração e também o ABS.

RS

A topo de linha é a versão RS: tem cinco modos de pilotagem, garfos invertidos Showa BPF, na dianteira, e monoamortecedor Öhlins STX 40, na traseira. Os freios também são Brembo, mas com pinças radiais monobloco M50 na roda dianteira. O motor foi ajustado para produzir 125 cv de potência máxima e ela traz ainda quickshift, que ajuda a transformá-la em uma moto ideal para se divertir na pista. Tanto a R como a RS receberam também um novo painel completamente digital com tela colorida de TFT – a “S” vem equipada com um painel semelhante ao da geração atual com um conta-giros analógico e uma pequena tela de LCD.

Mercado

Com o aumento da capacidade cúbica do motor, as melhorias ciclísticas e o novo visual, a Street Triple 2017 prepara-se para enfrentar modelos mais sofisticados como a Yamaha MT-09 e a MV Agusta Brutale 800. A fábrica inglesa não divulgou os preços da nova Street Triple para nenhum mercado, mas com tantas novidades e melhorias é de se esperar um aumento considerável.

A Street Triple R com motor de 675 cc, a atual versão top de linha, é vendida por R$ 39.500 no Brasil. Ainda não há informações sobre quais versões a Triumph pretende comercializar em nosso mercado, porém caso siga a estratégia de outros modelos, deverá trazer somente duas, sendo uma de entrada e outra mais equipada.

TEXTO: Arthur Caldeira / Agência INFOMOTO
FOTO: Divulgação